30.1.15

MESMO QUE SEJA DIFÍCIL ... NÃO DESISTA!



Nao Desista


"Quando algo vai mal, e isso acontece na vida, 
quando a estrada a percorrer parece enorme subida, 
quando o dinheiro é pouco e a dívida aumenta, e você
quer sorrir, mas não pode, e se lamenta
quando a ansiedade o faz um autista
descanse um pouco, mas não desista. 

A vida corre estranha, ora embaixo, ora no alto, 
como todos, aprendemos a cada sobressalto, 
e muitos daqueles que se deixam derrotar
seriam vencedores se aprendessem a lutar.
Não desista, mesmo andando sem nenhuma rapidez, 
talvez obtenha sucesso se apenas tentar outra vez.

O objetivo pode estar perto, mas distante
do homem sem coragem e hesitante;
há lutadores que desistem antes da luta
e nunca sabem se venceriam a disputa;
e só quando é tarde e nada mais podem fazer, 
descobrem o quanto estavam perto de vencer.

O sucesso é o fracasso às avessas, 
a cor escura de incertezas pregressas, 
a certeza de estar próximo é algo incerto, 
pode parecer longe e, entretanto, estar perto.
Então, nunca desanime, nem com a dor mais imprevista, 
e, nos piores momentos, diga a si mesmo: "Não desista!"

* * *
Espero que você, também, não desista e não se esqueça: 
"Você é muito, muito maior do que o seu corpo ou sua mente, você é um ser maravilhoso, imortal, eterno, cheio de amor e luz. Somos sempre amados e nunca estamos sozinhos!" 

Muitos vivem na defensiva, são arrogantes, arredios, superficiais, pois usam de mecanismos de defesa para se protegerem daquelas situações que não lograram superar em sua vida. O uso exagerado dessas defesas, no entanto, transformam-se em uma dependência nociva para a vida emocional, que os impossibilita viver plenamente a realidade e os benefícios do momento presente, pois encobrem a verdade de serem eles mesmos, vivendo presos às amarras do passado.

Entre as defesas mais usadas estão a racionalização, a depressão, a negação, a repressão e a projeção. As defesas, muitas vezes, são usadas inconscientemente e criam comportamentos estereotipados que são úteis quando não se consegue ou não se quer enfrentar as próprias imperfeições.

É necessário, no entanto, aceitar a sua própria condição humana, as próprias deficiências e passar a ser responsável pelas suas próprias atitudes. Aceitar este lado sombrio é uma atitude para o seu autoconhecimento, para a conscientização das suas próprias imperfeições e culpas. 

A aceitação da dor e do sofrimento não deve ser encarada como fraqueza e sim como uma forma de encontrar a força para enfrentar e superar esses sentimentos. Devemos nos conscientizar da nossa condição humana e aprendermos a nos libertar da insegurança, da culpa, da ansiedade, das ilusões e da necessidade de sermos perfeitos! É necessário desapegar-se de tudo o que já não serve mais. É preciso não lutar contra o que provocou rancor ou ódio e aceitar tudo o que já foi experimentado e vivido, pois proporcionou aprendizagem. 

Crescer é libertar-se e continuar caminhando desapegado dos antigos condicionamentos. Mesmo que não goste da vida que tem, pare de rejeitar-se, de julgar-se e comparar-se. Perdoe os seus erros, aprecie suas conquistas, seja sempre gentil com você mesmo, reconheça e elogie as suas realizações. Aceite que você é essencialmente bom e digno de ser amado. Não se conseguirá evitar o sofrimento recusando-se as mudanças, pois a vida não é estática e estamos em constante transformação... Aceite isto e não tente parar o mundo e ficar paralisado.

Aceitar-se representa uma "atitude" que deverá ser praticada e poderá parecer, em princípio, difícil e "errada". É um processo de mudança de hábitos e requer persistência. Desta maneira surgirão, aos poucos, os sentimentos correspondentes de auto-respeito e estima que o acompanharão, lhe darão força e o libertarão das defesas que o impedem de ser verdadeiramente feliz!

Permita-se procurar ajuda se for necessário... Um terapeuta será o seu treinador neste sentido, será um facilitador para o seu autoconhecimento e um motivador para o processo de conquista de sua verdade interior e cura emocional.



Muitas pessoas conseguiram enorme inspiração, segundo o autor, ao lerem este poema chamado "Não desista" deHanna, Paul, em "Você pode!", São Paulo, Editora Fundamento, 2004. 



por; Margarita Baxauli Moscardo 

3.1.15

Borboletas sem destino...




Borboleta que não voa,
Incerteza e desilusão.
Vaguear num mundo à toa,
Entre a dor e a solidão.
E nesses dias passados,
(Criança por Deus magoada!)
Viste o teu mundo ser mudado.
Instalaram-se em ti as trevas,
Amaldiçoas a luz que te fere
E odeias a vida que levas!
Clamas aos céus por justiça,
Buscando uma força divina.
O mundo perdeu-te nas voltas
E fez a poetisa, ainda menina
Para cantar tamanha revolta.
“Porquê eu? Porquê vocês?”
Pergunto a minh’alma dolorida,
Tentando manter a lucidez.
São tantas as portas que nos fecham,
Sem aviso prévio, nem motivo.
Quase como flechas que atravessam
Um pássaro que tomba, ferido.
Resta-nos somente a fé inabalável,
De Anjos de Luz, por nós velando.
Operando milagres no impensável,
Nos hospitais, as dores acalentando.
Sou menina mulher, louca e incompleta,
Que já não sente vontade de sonhar.
Lúpus: tens asas de borboleta,
Mas nunca me fizeste voar...

                                                                             Autor: Paula Correia -- Porto- Portugal


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...